Prevenção e Doenças do Coração

IMPORTÂNCIA DE CONSULTAR O CARDIOLOGISTA:

  O Cardiologista trata as doenças mais comuns na população adulta, tais como hipertensão arterial, colesterol elevado, diabetes, doença coronariana, insuficiência cardíaca, infarto do miocárdio, arritmias cardíacas, obesidade, doença das válvulas cardíacas e tabagismo.

  Atendimentos mais comuns: Avaliação pré-operatória, check-up e avaliação pré-atividade física.

  Como também é um médico clinico Geral, o cardiologista está habilitado a tratar outras doenças e não apenas as restritas ao aparelho Cardiovascular.

INFARTO AGUDO DO MIOCÁRDIO

Infarto agudo do Miocárdio(IAM) é a primeira causa de mortalidade no Brasil e no Mundo

  No Brasil, cerca de 350.000 óbitos ao ano por IAM;

  As doenças cardiovasculares representam 31,5% dos óbitos totais;

  65% do total de mortes na faixa etária de 30 a 69 anos de idade.

Causas de mortalidade no Brasil: 1ª IAM, 2º Violência, 3ª AVC

  A maioria das mortes por IAM ocorre nas primeiras horas de manifestação da doença;

  40-65% na 1ª hora; Aproximadamente 80% nas primeiras 24h;

  Apenas 20% dos pacientes com IAM chegam ao setor de emergência 2h após início dos sintomas;

  A maioria demora mais, porque não reconhece os sintomas ou porque não foi orientado sobre a importância de procurar ajudo rapidamente.

Há prevenção para o IAM?

Sim. Atuando na PREVENÇÃO PRIMÁRIA, ou seja, sabendo quais são os fatores de risco que predispõem a ocorrência de IAM e buscando mantê-los dentro das metas recomendadas pelas sociedades Brasileira, Americana e Europeia de Cardiologia, que estudam com afinco todas as maneiras de diminuir os casos de IAM na população Mundial.

 

FATORES DE RISCO PARA IAM

 

HIPERTENSÃO ARTERIAL SISTÉMICA

Cerca de 50% dos pacientes que tem IAM são hipertensos!

 

TABAGISMO

  Fumante de mais de um maço/dia tem 4x mais IAM;

  1 cigarro por dia aumenta em 40% o risco de IAM;

  Os não fumantes, que respiram a fumaça do tabaco em casa ou no trabalho, têm risco aumentado de desenvolver doenças cardíacas em 25 a 30%.

 

DISLIPIDEMIA (COLESTEROL ALTO)

A meta de alvo para nível de LDL deve ser de acordo com avaliação de risco cardiovascular estimado pelo médico, individualizada para cada paciente.

 

DIABETES MELITUS TIPO 2

2/3 dos DM falacem por causas cardiovasculares(IAM) ou cerebrovasculares(AVC).

A agressão macro vascular ocasionada pelo DM tem início vários anos antes do diagnóstico do DM, com isso, quando o diagnóstico de DM é feito, cerca de metade dos pacientes já tem aterosclerose significativa.

Diabéticos são considerados como ALTO risco CARDIOVASCULAR, apenas por ter DM.

Fonte: Sociedade Brasileira de Diabetes

 

OBESIDADE

  Cerca de 50% sobrepeso e 18,6% obesos;

  A obesidade causa mudanças importantes na estrutura e no tamanho do coração, além de comprometer seu funcionamento;

  O acúmulo de células gordurosas aumenta o risco de obstrução das artérias.

 

SEDENTARISMO

  61% dos infartados são sedentários.

  Estimativa para 2025 no Brasil:

  11,3 milhões de crianças com excesso de peso;

  150 mil terão diabetes tipo II;

  1 milhão será hipertensa;

  400 mil pré-diabéticos;

Fonte: Ministério da Saúde.